Friday, March 16, 2018

NEUROPSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO: CONCEITOS, MODELOS E MÉTODOS NA PRÁTICA CLÍNICA


Projeto de disciplina teórica optativa


Vitor Geraldi Haase

Curso de Graduação em Psicologia
FAFICH - UFMG
1o. semestre de 2018



EMENTA

Conexão entre teoria e clínica em neuropsicologia do desenvolvimento.


MÉTODO DE ENSINO

As aulas serão expositivas, com base nas referências indicadas. Ao final de cada aula o professor formulará de três a seis perguntas. Os alunos devem responder individuaalmente e por escrito a essas perguntas. As respostas devem ser enviadas semanalmene por emial ao monitor da disciplina. As respostas às perguntas devem se fundamentr nas anotações do aluno em aula e nas referências indicadas. 

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO
Serão realizadas duas provas escritas, uma no meio e outra no final do semestre. As provas serão dissertativas.  Para cada prova serão sorteadas quatro perguntas. Os alunos devem responder então a três perguntas. A nota final será conferida conforme o desempenho nas respostas semanais às perguntas (30%) e nas duas provas (35% cada).


NOTA DE ESCLARECIMENTO

17/03/2018 - Postei esse material ontem no FaceBook e várias pessoas se interessaram. Mas acabou causando uma certa confusão. Eu ainda não estou organizando um curso on line. Vou fazê-lo. Mas preciso de um tempo. Estou organizando o material. O que eu fiz ontem foi simplesmente divulgar o material de uma disciplina que ofereci na Graduação em Psicologia da UFMG, de modo que um número maior de pessoas pudesse usufruir da informação que eu fui reunindo ao longo das décadas. O objetivo de divulgar através da Internet é oferecer um guia de estudos. Oportunamente, pretendo acrescentar textos e perguntas diretivas.



SUGESTÕES PARA ESTUDO

Coloquei esse material na Internet para que se tornasse acessível a um número maior de pessoas. Uma maneira de aproveitar esse material para estudo é usando o método PQRST. 


O método PQRST consiste das seguintes etapas:

a) Preview - Fazer uma leitura geral do texto, buscando compreendê-lo. É o que a maioria dos estudantes faz. A maioria tambem para por aqui;

b) Questions - Formular perguntas. Perguntas sobre o que foi compreendido e o que não foi compreendido. Pensar no que o professor poderia perguntar na prova. A formulação ativa de perguntas permite um engajamento maior com o material a ser aprendido e prepara o sistema de conhecimento prrévio para integrar o novo conhecimento;

c) Review -  Reler o texto com cuidado, procurando responder às perguntas inicialmente formuladas. Inevitavelmente surgirão novas perguntas. Correr atrás das novas perguntas. Consultar outras fontes etc.;

d) Statement - Responder por escrito a todas as perguntas, consultando o texto e as anotações;

e) Test - Responder às perguntas sem consultar os textos.

Esse tal PQRST dá tanto trabalho, que é impossível não aprender. Para não aprender tem que fazer mais força ainda. Mas é isso aí. Não existe aprendizagem sem malhação.




PROGRAMA E REFERÊNCIAS

I - HISTÓRIA
Haase, V. G., Salles, J. F., Miranda, M. C., Malloy-Diniz, L., Abreu, N., Argollo, N., Mansur, L. L., Parente, M. A. M. P., Fonseca, R. P., Mattos, P., Landeira-Fernandez, J., Caixeta, L. F., Nitrini, R., Caramelli, P., Teixeira Jr. A. L., Grassi-Oliveira, R., Christensen, C. H., Brandão, L., Corrêa da Silva Filho, H., da Silva, A. G. e Bueno, O. F. A. (2012). Neuropsicologia como ciência interdisciplinar: consenso da comunidade brasileira de pesquisadores/clínicos em neuropsicologia. NeuropsicologiaLatinoamericana, 4, 1-8.


II - MODELO BIOPSICOSSOCIAL DA SAÚDE
Haase, V. G. (2009). O enfoque biopsicossocial na saúde da criança e do adolescente. In V. G. Haase, F. O. Oliveira e F. J. Penna (Orgs.) Aspectos biopsicossociais da saúde na infância e adolescência (pp. 29-65). Belo Horizonte: COOPMED (ISBN: 978-85-7825-003-4).

Haase, V. G., Oliveira, L. F. S., Pinheiro, M. I. S., Andrade, P. M. O., Ferreira, F. O., de Reitas, P. M., Jaeger, A., e Teodoro, M. L. M. (2016). Como a neuropsicologia pode contribuir para a educação de pessoas com deficiência intelectual e;ou autismo? Pedagogia em Ação, 8, 209-230.


III - PARADIGMAS EM CIÊNCIA COGNITIVA
Eysenck, M. W. e Keane, M. T. (1994). Introdução. In M. W. Eysenck e M. T. Keane Psicologia cognitive. Um manual introdutório (pp. 7-42). Porto Alegre: ARTMED.

Williams, J. M. G., Watts, F. N., MacLeod, C. e Mathews, A. (2000). Paradigma de processamento de informação. In J. M. G. Williams, F. N. Watts, e A. Matthews (eds.) Psicologia cognitiva e perturbações emocionais (pp. 33-60). Lisboa: CLIMEPSI.

Haase, V. G. e Rothe-Neves, R. (2000). O “sistema nervoso conceitual” e suas implicações para a avaliação neuropsicológica: I. Os modelos clássico e conexionista da cognição. Temas em Psicologia, 1, 27-37.

Haase, V. G. e Rothe-Neves, R. (2000). O “sistema nervoso conceitual” e suas implicações para a avaliação neuropsicológica: II. Paradigmas emergentes. Temas em Psicologia, 1, 39-51.



 IV - NEUROPSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
Haase, V. G. (2000). Correlação anátomo-clínica em neuropsicologia do desenvolvimento. In V. G. Haase, R. Rothe-Neves, C. Käppler, M. L. M. Teodoro e G. M. O. Wood (Orgs.) Psicologia do desenvolvimento: contribuições interdisciplinares (pp. 17-65). Belo Horizonte: Health.

Haase, V. G. (2009). Neuropsicologia do desenvolvimento: um enfoque clínico. In V. G. Haase, F. O. Ferreira e F. J. Penna (Orgs.) Aspectos biopsicossociais da saúde na infância e adolescência (pp. 289-318). Belo Horizonte: COOPMED (ISBN: 978-85-7825-003-4).

Haase, V. G. (2015). Neuropsicologia e desenvolvimento: Como a neuropsicologia podecontribuir para o acúmulo de capital humano?


V - PROCESSO DIAGNÓSTICO
Haase, V. G., Pinheiro-Chagas, P., da Mata, F. G., Gonzaga, D. M., Silva, J. B. L, Géo, L. A. e Ferreira, F. O. (2008). Um sistema nervoso conceitual para o diagnóstico neuropsicológico. Contextos Clínicos, 1, 125-138.

Haase, V. G., Medeiros, D. G., Pinheiro-Chagas, P. e Lana-Peixoto, M. A. (2010). A "Conceptual Nervous System" for multiple sclerosis". Psychology and Neuroscience, 3, 167-181.



VI - ANAMNESE
Haase, V. G. (2017). Cem máximas da anamnese neuropsicológica. In A. Júlio-Costa, R. Moura e V. G. Haase (eds.) Compêndio de testes neuropsicológicos: Atenção, funções executivavs e memória (pp. 23-31). São Paulo: Hogrefe (ISBN 978-85-85439-26-2).





Haase, V. G. (2016). Qual é o principal conselho?





VII - PSICOMETRIA
Haase, V. G. e Júlio-Costa, A. (2017). Como driblar a ilusão dos números? O bom uso de testes neuropsicológicos. In A. Júlio-Costa, R. Moura e V. G. Haase (eds.) Compêndio de testes neuropsicológicos: Atenção, funções executivavs e memória (pp. 7-22). São Paulo: Hogrefe (ISBN 978-85-85439-26-2).


VIII - CORRELAÇÃO ANÁTOMO-CLÍNICA 

Sbicigo, J.B., Piccolo, L. R., Becker, N., Vedana, S. N., Rodrigues, J. C., Salles, J. R. e Haase, V. G. (2016). Current perspectives on the anatomo-clinical method in neuropsychology. Psychology and Neuroscience, 9, 198-214.

Haase, V. G., Antunes, A. M.,, Bertola, L., e Malloy-Diniz, L. F. (2013). Método anatomoclínico na interpretação das investigações clínicas: síndromes demenciais do idoso. In L. F. Malloy-Diniz, D. Fuentes, e R. M. Cosenza (Eds.) Neuropsicologia do envelhecimento. Uma abordagem multidimensional (pp. 265-279). Porto Alegre: ARTMED (ISBN 9788582710142).


IX - SÍNDROME NEUROPSICOLÓGICA

Pennington, B. F. (2009). Issues in syndrome validation. In B. F. Pennington Diagnosing learning disorders. A neuropsychological framework (2nd. ed.) (pp.23-27). New York: Guilford.




X - NEUROPSICOLOGIA COGNITIVA

Temple, C. (1997). Introduction do developmental cognitive neuropsychology. In C. M. Temple, Developmental cognitive neuropsychology (pp. 1-25). Hove: Psychology Press.

Haase, V. G., Gauer, G. e Gomes, C. M. A. (2010). Neuropsicometria: modelos nomotético e idiográfico. In L. F. Malloy-Diniz, D. Fuentes, P. Mattos e N. Abreu (Orgs.) Avaliação neuropsicológica (pp. 31-37). Porto Alegre: ARTMED.


XI - NEUROPLASTICIDADE

Haase, V. G., Cruz, T. F., Souto, D. O., e Antunes, A. O. (2016). Aprendizaegm e neuroplasticidade. In R. Metring e S. Sampaio (Orgs.) Neuropsicopedagogia e aprendizagem (pp. 81-88). Rio de Janeiro: WAK.

Haase, S. S. e Lacerda, S. S. (2003). Neuroplasticidade, variação interindividual e recuperação funcional em neuropsicologia. Temas em Psicologiada SBP, 11, 28-42.


XII - REABILITAÇÃO

Haase, V. G., Pinheiro-Chagas, P. e Andrade, P. M. O. (2012). Reabilitação cognitiva e comportamental. In A. L. Teixeira e A. Kummer (Orgs.) Neuropsiquiatria clínica (pp. 115-123). Rio de Janeiro: Rubio.

Haase, V. G., Oliveira, L. F. S., Pinheiro, M. I. S., Andrade, P. M. O., Ferreira, F. O., de Reitas, P. M., Jaeger, A., e Teodoro, M. L. M. (2016). Como a neuropsicologia pode contribuir para a educação de pessoas com deficiência intelectual e;ou autismo? Pedagogia em Ação, 8, 209-230.
XIII - EDUCAÇÃO

Haase, V. G., Júlio-Costa, A., e Lopes-Silva, J. (2015). Por que o construtivismo não funciona? Evolução, processamento de informação e aprendizagem escolar. Psicologia em Pesquisa UFJF, 9, 62-71.

Haase, V. G. (2017). Pedagogia evolucionista.






Haase, V. G. (2016). As mazelas do construtivismo.




XIV - PRINCÍPIOS BIOÉTICOS
Haase, V. G., Pinheiro Chagas, P. e Rothe-Neves, R. (2007). Neuropsicologia e autonomia decisória: implicações para o consentimento informado. Revista Bioética, 15, 117-132.




REFERÊNCIAS GERAIS

Haase, V. G., Ferreira, F. O. e Penna, F. J. ( (Orgs.) (2009). Aspectos biopsicossociais da saúde na infância e adolescência. Belo Horizonte: COOPMED (ISBN: 978-85-7825-003-4).

Haase, V. G., Rothe-Neves, R., Käppler, C., Teodoro, M. L. M. e Wood, G. M. O. (Orgs.) (2000). Psicologia do desenvolvimento: contribuições interdisciplinares (pp. 17-65). Belo Horizonte: Health.

Júlio-Costa, A., Moura, R. J. e Haase, V. G.  (Orgs.) (2017) Compêndio de testes neuropsicológicos: Atenção, funções executivavs e memória (pp. 7-22). São Paulo: Hogrefe (ISBN 978-85-85439-26-2).


Pennington, B. F. (2009). Diagnosing learning disorders. A neuropsychological framework (2nd. ed.). New York: Guilford.

Temple, C. (1997). Developmental  cognitive neuropsychology. Hove: Psychology Press.


Thambirajah, M. S. (2011). Developmental assessment of the school-aged child with developmental disabilities. A clinician's guide. London: Jessica Kingsley.

No comments:

Post a Comment